SPACE PortugalTornar-se [email protected]

Psilocibina

Estão hoje identificadas mais de 180 espécies de cogumelos que contêm psilocibina, incluídas predominantemente nos géneros Psilocybe (117 espécies). Desde há pelo menos 7000 anos que os cogumelos contendo psilocibina fazem parte de diversas culturas de todos os continentes povoados pelo Homem.

Particularmente durante a primeira metade do século XX, os cogumelos contendo psilocibina foram estudados por vários etnobotânicos e micologistas, dos quais se destacam Richard Evans Schultes, Gordon Wasson e Roger Heim, os quais levaram a cabo importantes expedições à América Central. A psilocibina acabaria por ser isolada em 1959, a partir dos cogumelos Psilocybe mexicana, pelo químico suíço Albert Hofmann (que anos antes havia também sintetizado o LSD), assim como um outro elemento presente em concentrações inferiores, designado por psilocina, que se veio a verificar como sendo o seu princípio ativo. No ano seguinte, a farmacêutica suíça Sandoz - que já comercializava o LSD para diferentes patologias psiquiátricas - iniciou a distribuição de um comprimido contendo 2mg de psilocibina, com a designação comercial Indocybin, um fármaco então utilizado como coadjuvante de psicoterapia.

Decorrente do movimento da Contracultura e das políticas levadas a cabo para o conter, e à semelhança de outras substâncias com propriedades semelhantes, a psilocibina adquiriu um contexto jurídico-legal controlado, tendo sido proibida a sua utilização. Apesar de com isso ter sofrido um importante decréscimo no número de estudos, mais recentemente, a investigação científica da psilocibina resultou na publicação de mais de um milhar de artigos, referentes à bioquímica, farmacologia, neurofisiologia e potencial terapêutico, tendo sido levados a cabo diferentes ensaios clínicos em humanos.

A psilocibina é, atualmente, a substância psicadélica mais investigada em contexto clínico, tendo-lhe sido atribuída a designação de Breaktrough Therapy pela FDA para o tratamento da depressão resistente ao tratamento, em 2018, e para o tratamento da depressão major no final do ano de 2019.





Substâncias Psicadélicas

ayahuascaAyahuascaibogaínaIbogaínaketaminaKetaminalsdLSDmdmaMDMApsilocibinaPsilocibina