SPACE PortugalTornar-se [email protected]

Holding on or letting go? Experiências dos pacientes sobre controlo, contexto e cuidados no tratamento com esketamina oral para depressão resistente ao tratamento: um estudo qualitativo

KetaminaEstudo Qualitativo

25 de novembro de 2022, Frontiers in Psychiatry

Autores: Joost J. Breeksema, Alistair Niemeijer, Bouwe Kuin, Jolien Veraart, Jeanine Kamphuis, Nina Schimmel,Wim van den Brink, Eric Vermetten and Robert Schoevers

Contexto: A ketamina e seu enantiómero esketamina representam novos tratamentos promissores para a depressão resistente ao tratamento (DRT). A esketamina induz efeitos psicoativos agudos e transitórios. Como os pacientes atribuem significado ao tratamento com esketamina e quais as condições que facilitam os resultados ideais permanece pouco estudado. Assim, compreender as perspectivas dos pacientes sobre os fenómenos é importante para identificar necessidades não correspondidas que podem ser usadas para melhorar os tratamentos com esketamina.

Objetivos: Explorar as perspectivas de pacientes com DRT que participam no tratamento oral com esketamina off label.

Materiais e métodos: Entrevistas em profundidade com 17 pacientes (11 do género feminino) submetidos a um programa de tratamento de esketamina de seis semanas, bissemanal e, subsequentemente, após seis meses de uso no domicílio. As entrevistas exploraram as perspetivas, expectativas e experiências dos participantes em relação ao tratamento com esketamina. As entrevistas em áudio foram transcritas literalmente e analisadas seguindo uma estrutura de Análise Fenomenológica Interpretativa (IPA).

Resultados: Os temas-chave incluíram experiências avassaladoras; preparação inadequada; abdicação do controlo da experiência; estados de humor que influenciaram as experiências de cada sessão; a presença e apoio emocional assim como ambientes de suporte durante o tratamento. As tentativas dos pacientes de ceder à experiência versus manter o controlo sobre experiências ocasionalmente avassaladoras foi um tema central. Múltiplos fatores influenciaram a capacidade dos pacientes deixarem-se ir pela experiência e pareceram impactar o seu humor e ansiedade acerca de sessões subsequentes, incluindo o nível de preparação e educação, apoio físico e emocional e ambiente durante a sessão.

Conclusão: Uma melhor preparação prévia, um ambiente de tratamento otimizado e suporte emocional e psicológico durante as sessões de esketamina podem ajudar os pacientes a "deixarem-se ir", levando a uma melhor qualidade de cuidados e resultados. São fornecidas recomendações para melhorar a qualidade do atendimento ao paciente em tratamento com esketamina, incluindo sugestões para o treino da equipa de enefrmagem e outro pessoal de apoio.




Artigos relacionados

Ver todos os artigos