SPACE PortugalTornar-se [email protected]

Ketamina como adjuvante de terapia psicológica baseada na prevenção de recaída no tratamento da Perturbação do Uso de Álcool

KetaminaEnsaio Clínico

11 de janeiro de 2022, The American Journal of Psychiatry

Autores: Meryem Grabski, Amy McAndrew, Will Lawn, Beth Marsh, Laura Raymen, Tobias Stevens, Lorna Hardy, Fiona Warren, Michael Bloomfield, Anya Borissova, Emily Maschauer, Rupert Broomby, Robert Price, Rachel Coathup, David Gilhooly, Edward Palmer, Richard Gordon-Williams, Robert Hill, Jen Harris, O Merve Mollaahmetoglu, H Valerie Curran, Brigitta Brandner, Anne Lingford-Hughes, Celia J A Morgan

Objetivo: Evidências preliminares sugerem que a ketamina pode representar um tratamento eficaz para manter a abstinência de álcool. Os autores investigaram a segurança e eficácia da ketamina em comparação com placebo no aumento do tempo de abstinência em pacientes com perturbação dor uso de álcool. Um objetivo adicional foi testar a ketamina combinada com terapia de prevenção de recaída baseada em mindfulness em comparação com ketamina e educação sobre o uso de álcool como controlo terapêutico.

Métodos: Num ensaio clínico de fase 2 duplo-cego controlado por placebo, 96 pacientes com perturbação do uso de álcool grave foram randomizados para uma de quatro condições: 1) três infusões semanais de ketamina (0,8 mg/kg iv por 40 minutos) com terapia psicológica associada , 2) três infusões de solução salina associada com terapia psicológica, 3) três infusões de ketamina e concomitante educação sobre o uso de álcool, ou 4) três infusões de solução salina e concomitante educação sobre o uso de álcool. Os outcomes primários foram a percentagem autorrelatada de dias de abstinência e recaída de álcool confirmada em 6 meses de follow-up.

Resultados: 96 participantes (35 mulheres; idade média, 44,07 anos [DP=10,59]) foram incluídos na análise. O tratamento foi bem tolerado e nenhum evento adverso grave foi associado ao medicamento do estudo. Embora os intervalos de confiança fossem amplos, consistentes com um estudo de prova de conceito, houve um número significativamente maior de dias de abstinência de álcool no grupo de ketamina em comparação com o grupo placebo em 6 meses de follow-up (diferença média = 10,1%, IC 95% = 1,1, 19,0), com a maior redução no grupo de ketamina associada com terapia em comparação com o grupo de solução salina com psicoeducação (15,9%, IC 95% = 3,8, 28,1). Não houve diferença significativa na taxa de recaída entre os grupos de ketamina e placebo.

Conclusões: Este estudo demonstrou que o tratamento com três infusões de ketamina foi bem tolerado em pacientes com perturbação do uso de álcool e foi associado a mais dias de abstinência do uso de álcool com follow-up a 6 meses. Os resultados sugerem um possível efeito benéfico de adição de suporte psicoterapêutico ao tratamento com ketamina.




Artigos relacionados

Ver todos os artigos