SPACE PortugalTornar-se [email protected]
Preparar a Europa para terapias assistidas por Psicadélicos

Preparar a Europa para terapias assistidas por Psicadélicos

13 de julho de 2022 5 minutos de leitura

  • Miguel Rosa
  • Psicadélicos
  • Sociedade

Navegar numa crise de saúde mental: a ciência diz-nos que novos medicamentos psicadélicos podem ajudar, diz Sara Cerdas (PT,S&D), membro do Comité do Ambiente, Saúde Pública e Segurança Alimentar.

Na União Europeia, os problemas de saúde mental afectam mais de 80 milhões de pessoas, e o suicídio é a segunda principal causa de morte de jovens entre os 15 e 29 anos de idade. O surto da COVID 19 aumentou significativamente estes desafios. Segundo a Organização Internacional do Trabalho, na Primavera de 2021, 64% dos jovens entre os 18-34 anos estavam em risco de depressão, em parte devido à solidão e ao isolamento social. Estamos a falhar em demasiados indivíduos, famílias e comunidades afectadas por condições de saúde mental.

Muito mais deve ser feito para promover a saúde mental, e para isso sou um defensor de tratamentos baseados em provas que promovam a saúde mental, tais como os novos e promissores medicamentos psicadélicos.

“Não posso ignorar o que a ciência nos tem vindo a dizer há anos. Um corpo de investigação crescente, rigoroso e convincente sugere fortemente que as terapias psicadélicas assistidas podem ser uma nova classe potente de tratamentos para condições de saúde mental”.

Os compostos psicadélicos - tais como LSD e MDMA - permanecem ilegais e podem representar sérios riscos para os indivíduos. Ao mesmo tempo, não posso ignorar o que a ciência nos tem vindo a dizer há anos. Um corpo crescente, rigoroso e convincente de investigação sugere fortemente que as terapias psicadélicas assistidas podem ser uma nova classe potente de tratamentos para condições de saúde mental.

Não se pode ignorar que o benefício fundamental das novas terapias psicadélicas provém da combinação da medicina psicadélica com a psicoterapia. Oferecem uma janela terapêutica de oportunidade para as pessoas abordarem as causas profundas dos seus problemas de saúde mental, ao mesmo tempo que são apoiadas por terapeutas formados.

Estando envolvido na formação das políticas de cancro da UE, também olho com esperança para estudos que mostram que os psicadélicos podem ajudar os doentes com cancro que muitas vezes experimentam um sofrimento psicológico significativo após receberem o diagnóstico de risco de vida.

A investigação também mostra que a terapia assitida por psicadélicos é segura quando administrada em ambientes controlados e de apoio. Precisamos de maiores esforços de investigação da UE para compreender melhor estes tratamentos, mas não podemos ser cegos pelo estigma e preconceito em relação aos psicadélicos.

Nova parceria da UE PAREA prepara o caminho para terapias psicadélicas assistidas para ajudar doentes em áreas de enormes necessidades não satisfeitas diz Tadeusz Hawrot, fundador e líder político da Aliança Europeia de Acesso Psicadélico e Investigação (PAREA)

A Kerry foi diagnosticada com cancro do pulmão de fase 3 em 2013. Durante o seu tratamento de fim de vida, foi-lhe administrada uma grande dose de psilocibina, o agente psicadélico dos cogumelos mágicos, como parte de um ensaio clínico em curso. Ao deitar-se num sofá - com uma venda para evitar distracções, auscultadores a tocar música calmante, e com guias treinados a vigiá-la - teve uma profunda realização: "Estás vivo. Aqui mesmo agora, porque é tudo o que tem". Apesar da progressão do seu cancro, após o tratamento, a sua ansiedade incapacitante em relação à morte desapareceu. Pode assistir aqui a uma pequena parte do seu testemunho.

Muitas histórias semelhantes podem ser encontradas no domínio público de pessoas que recebem ajuda através da Terapia Psicadélica-Assistida (PAT) em ensaios clínicos. Estes testes estão a investigar compostos com propriedades psicadélicas como a psilocibina, a 3,4-Metilenodioximetafetamina (MDMA) ou a Dietilamida de Ácido Lisérgico (LSD). Os resultados são extremamente promissores. Por exemplo, um ensaio clínico de fase 3 publicado em 2021 na Nature Medicine demonstrou que 67% dos participantes na terapia assistida por MDMA já não sofriam de Transtorno de Stress Pós-Traumático (PTSD). A terapia MDMA poderá ser aprovada pela US Food and Drug Administration (FDA) já no próximo ano.

“O renascimento da investigação em neurociência e aplicações terapêuticas de substâncias psicadélicas representa uma das iniciativas mais promissoras e importantes na ciência cerebral e neuropsicofarmacologia nos últimos tempos. A Europa deve agir agora para garantir que as terapias psicadélicas assistidas cheguem aos doentes em tempo útil”.

Estão em preparação cerca de trinta ensaios clínicos fase 2, investigando sintomas como depressão resistente ao tratamento, transtorno do uso do álcool e outras dependências, várias formas de ansiedade ou vários tipos de dor como dores de cabeça de grupo. Outros ensaios em fase inicial também analisam uma série de desordens neurológicas.

Entre 2017 e 2019, a FDA americana concedeu a designação Breakthrough Therapy aos PATs para três ensaios de investigação da psilocibina para a depressão e MDMA para o PTSD. Universidades de topo nos EUA e na Europa estão a abrir centros dedicados ao estudo de substâncias psicadélicas e os governos de todo o mundo começam a financiar a investigação sobre substâncias psicadélicas.

A UE deve seguir o exemplo, proporcionando oportunidades de financiamento e começar a preparar a implantação destes tratamentos. O trabalho deve agora começar a assegurar o acesso equitativo, atempado, acessível, seguro e legal aos PAT em breve.

Por conseguinte, uma nova colaboração - a Aliança Europeia de Acesso Psicadélico e Investigação (PAREA) - acaba de ser oficialmente lançada. PAREA é uma parceria única e diversificada que reúne 15 membros que abrangem organizações de doentes, associações profissionais, organizações umbrella, fundações psicadélicas, e o sector com fins lucrativos.

Estamos a reunir-nos para aumentar e acelerar a acção sobre PAT, fornecendo recomendações políticas baseadas em provas e conhecimentos especializados aos decisores políticos da UE.

Os membros do PAREA lançaram um Apelo à Acção dirigido aos decisores europeus - reunindo as nossas principais prioridades e pedidos políticos.

O renascimento da investigação em neurociência e aplicações terapêuticas de substâncias psicadélicas representa uma das iniciativas mais promissoras e importantes na ciência cerebral e neuropsicofarmacologia nos últimos tempos. A Europa tem de agir agora para garantir que as terapias psicadélicas assistidas cheguem aos doentes em tempo útil.

Artigo Original de PAREA - Psychedelic Access and Research European Alliance, publicado a 23/06/2022

Tradução livre por Miguel Rosa



Miguel Rosa
Miguel Rosa
Psicólogo | Membro Satélite SPACE

Mais posts

5 perguntas a Robin Carhart-Harris
  • Pedro Mota
  • Personalidades
7 minutos de leitura

5 perguntas a Robin Carhart-Harris

Em 2014, Robin Carhart-Harris tornou-se a primeira pessoa a administrar legalmente LSD no Reino Unido desde que a substância foi proibida em...

Psicadélicos e o futuro da Psiquiatria
  • Pedro Mota
  • MDMA
  • Psilocibina
  • Psiquiatria
7 minutos de leitura

Psicadélicos e o futuro da Psiquiatria

Bem-vindos à Renascença Psicadélica. Ao longo dos últimos anos, temos testemunhado um renascimento no interesse das substâncias psicadélicas...

Ver todos os posts